sábado, 17 de fevereiro de 2018

Casa de Vidro

Morei por muito tempo
Nos porões escuros
E nos escombros e penumbra
Onde sempre é noite.

Hoje eu moro na casa de vidro,
A claridade do sol do meio dia
Afugenta os vampiros e os demônios.

Através dessas paredes transparentes
Vejo lá fora,
Vejo no fundo da alma,
Vejo a noite dos segredos
Com a clareza do meio dia,
Com se não houvesse mais noite na alma.

A escuridão não envolve mais
O meu espírito,
Brilha sobre a casa de vidro
Esse sol que não deixa sombra.

J.Nunes

Postagens populares