quarta-feira, 17 de julho de 2019

Na Constelação de Amor


Por muito tempo fizemos apologia
Ao individualismo, ao brilho fácil e pessoal, 
A liberdade e a autossuficiência...
A prepotência e até mesmo a arrogância.

São outros tempos,
E são outras lições de vida.
É  tempo de coletividade, de repartir,
De estender a mão,  de pedir e reconhecer 
Suas fraquezas, de saber que somos parte de um todo,
É  tempo de brilhar dentro da constelação do amor,
É tempo de ser um raio, um facho de luz
Desse Sol generoso e belo,
É tempo de ser uma gota dessa chuva boa 
É tempo de ser um grão dessa terra fértil,
É tempo de ser um gota que faz esse mar.

É tempo de saber que sozinhos somos fracos,
E que pobres, doentes e velhos somos dependentes,
Peço a Deus que não seja preciso a doença
E outras lições para você aprender
Que todos precisam que lhe estendam a mão.

É tempo de compreender que é  um privilégio 
Poder ajudar a quem precisa, 
Porque  do necessitado que aprendemos a lição
De amor, humildade e ainda é através 
Dessa oportunidade de fazer o bem
Que Deus também nos estende a mão. 

É tempo de compreender que a lei do mais forte
Não se aplica aos homens que estão abaixo 
Da misericórdia divina, 
Aos homens se aplica a Lei do Amor e da Humildade.


É tempo de sentir a luz,
A beleza e o amor do princípio feminino, 
E o sacrifício supremo do masculino,
Forças manifestadas em toda a criação.

É tempo de reconhecer que o Pai e Criador
De todas as coisas tem uma mão estendida 
Aos seres humanos
E outra estendida a toda a natureza.

José Nunes Pereira 



Arquivo do blog