domingo, 14 de outubro de 2012

Poesias Esotéricas Imparcialistas


Dança ao som do silêncio

O silêncio é o som
O som é o silêncio,
Onde nada existe, existi o som.

Quando tudo faltar
Ainda assim existirá Deus
Em sua forma mais primitiva,
Em forma de som...

Deus está no silêncio
Deus é o silêncio
E o silêncio não existe
Porque Deus existe nessa forma mais
Primária de existir.

Deus é o som, quando nada existi,
Existe Deus porque ele é o verbo,
E a palavra é o som
Que cria, fecunda e mata.

Quero dançar em espírito
Ao som do silêncio.
 Quando a terra voltar ao seu estado primitivo
Deus soprará sobre a terra nua,
Em sua forma de vento e som.

Eu sou memória do que sou, e do que fui,
Portanto não sou nada!
Não sou nada sem essa forma espectral
Que dança ao som do silêncio...

Os lugares que meu corpo ocupa,
Os vazios que meu corpo preenche,
São lugares antes já preenchidos
Com o som do silêncio...

Das suas montanhas,
Dos seus mares revoltos,
De seus precipícios,
De seus furacões
Deus me chama
Para dançar ao som da eternidade,
Sem medo vou para a dança
Ao som do silêncio arrebatador.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares