terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O coveiro


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Fogo do desejo

Poesia Esotérica Imparcialista

Corações de ouro ainda bruto

Esse fogo do desejo
Queimando seu corpo
É o mesmo fogo do desejo
Que purifica sua alma.

Esse fogo que arde em nossos corpos
É o amor consagrado,
O desejo criador, o fogo purificador.

Encha nossas taças até à borda,
Mas não derrame esse vinho precioso
Com a embriaguez passional.

No limiar do desejo,
Deixe nossos corpos em repouso
Até que a erupção do desejo se acalme;
Evapore por dentro de nós,
Chegue a nossos corações de ouro ainda bruto
E alimente nossa alma e o nosso amor
Com fome e sede de  Deus e de vida eterna.

O fogo do desejo cambaleia, oscila
Igual ao deus coxo Hefesto,
Igual ao deus Baco embriagado,
A chama oscila ao vento,
E a vontade do espirito é severa.

Josias Maciel
J.Nunez

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Poesia espiritualista

Uma vela queimada até o fim

Com fracassos, sucesso e velhice
Um dia apagarei
como uma vela queimada até o fim,
Ou como uma lâmpada,
Que talvez,
O mistério da morte  e da vida
Venha a reacender.

Sem alma e Deus, tudo
É efêmero, 
mediocridade e miséria.
A vida passou assim...
Francisco Medeiros

J.Nunez

domingo, 27 de outubro de 2013

Poesia esotérica imparcialistas

Poesia imparcialista

A chave para as portas que não se abrem.

O vicio é o fracasso após o fracasso,
Ou o fracasso do fracasso
Em uma queda sem chão...

O vício é onde nos escondemos após um fracasso,
Onde tentamos esquecer a dor,
E colocamos um sentido e um prazer na vida...

O melhor caminho após muitos fracassos
É buscar outros caminhos e outras vocações...
Todo mundo tem uma porta fechada para si.
A explicação para essas portas que não se abrem
Está em nosso  Karma...

Nem todas as portas estão abertas para nós...
Estão vá procurar a chave,
Não perca seu tempo tentando derrubar a porta.
A chave está em ato de fazer pelos outros
O que você gostaria que fizessem por você!

Murilo Santiago
J.Nunez

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Poesia esotérica, espiritualista

Tempo excedente

A vida parece curta e pouca
Para se aplicar a qualquer coisa.
Então, naturalmente faço o que tem que ser feito,
Não perco tempo preocupado com a vida alheia,
Sou econômico nas palavras,
Porém esbanjo consideração humana,
Amo aos amigos e não me desgasto odiando os inimigos
E aplico a alma o tempo excedente,
Assim justifico a vida com a eternidade da alma.

Saturnino Queiros

J.Nunez

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Lei de Atração

Lei de Atração

O Mundo nos absorve
Pelos olhos,
Pelo cheiro,
Pelo paladar,
Pelo tato,
Pelo sexo.

O mundo nos atrai,
Nos absorve
E perdemos a consciência
Absorvidos nas sensações,
Nos desejos e nos pensamentos.

Podemos acordar e olhar
Nossos sonhos acordados de fora das circunstâncias.

Murilo Santiago
J.Nunez

sábado, 3 de agosto de 2013

Poesias espiritualistas

Outras vidas

Há muitas outras vidas abstratas
Dentro de nossas vidas físicas:
Vidas imaginárias, vidas de pensamentos
Sentimentos e atitudes secretas.

Essas muitas vidas
Não condizem com a vida real,
São vidas psicológicas,
Que muitas vezes inconvenientes,
Assumem o nosso corpo feito intrusos,
Como personagem que passa a ser o autor,
Demônios querendo tomar posse de nossa vida física.

Quando vivemos uma dessas muitas vidas psicológicas
Que não condizem com a nossa vida e condição real,
 Vem o mal...

É necessário que a vida física real
Tenha relação de afinidade  
Com um estado psicológico equivalente,
 Mas isso é para poucos...

Murilo Santiago

J.Nunez 

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

SILÊNCIO INTERIOR

Poesia espiritualista imparcialista

Silêncio Interior

Nem um pensamento é tão importante
Que não possa ser silenciado...

Nem um vício e desejo é tão importante
Que não possa ser mortificado.

O pensamento e os vícios
São portas cerradas para a espiritualidade.

Jonas Corrêa Martins

J.Nunez

domingo, 28 de julho de 2013

Poesia Imparcialista espiritualista

Se eu fosse ateu

Se eu não acreditasse em Deus
Eu seria, em pessoa, o cúmulo da arrogância,
Da prepotência, da rebeldia e da vaidade...
Ou simplesmente um olhar materialista sobre Deus
E sua sombra em todas as coisas...

Se eu fosse ateu,
Deus seria o que eu negaria existe,
Que existe! Muito além do que eu penso.

Gosto da poesia e da filosofia
Porque elas me permitem malabarismos teóricos...

Jonas Corrêa Martins

J.Nunez

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Poesia holística

Vão...

Vão entre uma coisa e outra
Vão de oscilar entre isso e aquilo  
Vão de ir
Vão entre suas pernas,
Vão por onde se espia segredos 
Vão das coisas,
Vão de espaço,
Vão por onde se consolida o desejo e o amor.

Vão da vida
Vão de ser em vão
Vão que não existe,
Tudo é ocupado por um espírito espectral.

Eu ocupo o vão entre os átomos das paredes
Das casas assombradas por mim...
Assombrar é ser o que os outros não compreendem
Com os cinco sentidos do corpo...
Eu ocupo o vão entre suas coxas.

É preciso alma!
O poeta tem que ser doido aos olhos do senso comum
E dançar ao som invisível do universo.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez


domingo, 14 de julho de 2013

Poesia Esotérica Imparcialista

Fraternidade Oculta

Olho para a estrela,
Sei que temos afinidade,
Somos eternos dentro da eternidade.
Em minha insignificância
Diante da vida e do universo,
Em meu anonimato holístico,
Sou eterno.

Olho para as gentes
Sei que somos distantes;
Ligados e temos uma afinidade:
Somos indivíduos e massa,
Somos corpos perecíveis
E eternos na composição
Abstrata de sermos gentes.

Modernos, desligamos o corpo da alma,
Ignoramos que somos o mesmo homem primitivo,
Ignoramos que existimos aqui e mais além
Com todo o comprometimento com a lei de Deus.
 Mais além somos irmãos
 Em uma fraternidade oculta.

Saulo Menezes Castro

J.Nunez   

sábado, 6 de julho de 2013

Poesia Imparcialista Esotérica: Os Cães

Os Cães

É sempre os cães
A me morder os  pés
E me despertar do sono espectral

Em fuga num mundo
Em que levanto vôo sem asas
E transpasso paredes e portões...

Depois, mais tarde,
Fora do tempo e do espaço
Acordo materializado no mundo
Em que estou preso ao chão,
E não posso flutuar.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Poesia esotérica Imparcialista

Personalidade  

O que não somos
O que a vida não permitiu
O que sonhamos
O que poderíamos ter sido
O que somos de fato;

Desce pelas nossas gargantas,
Corre pelos nossos corpos,
Percorre nossas veias
Mora em nossos pensamentos,
Ronda nossas sensações e nossos desejos
E se potencializa em nós em forma de vícios,
E nos destrói com a mesma força
Daquilo que desejamos
E a vida não permitiu.

A personalidade é uma estrada
Para caminhamos com o que somos;
Pode não existir a estrada
E a personalidade se dispersa nos vícios
Ou caminha por onde não é nossa estrada.

A vida sempre avisa
O que ela não permitirá,
Então tomo outro caminho,
Ou faço atalhos,
Ou busco um vício que me destrói
Com a mesma força e intensidade
Que eu poderia ter sido.

Murilo Santiago

J.Nunez 

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Meu sol na casa doze.


Refúgio

Estou tão acostumado comigo
Que procuro alguém em mim
Que possa relacionar e interagir
Com o mundo e o outro...

Tenho dificuldades
Para estar no mundo,
E muita intimidade
Com o interior de minha alma

Onde eu moro e me refugio
E de onde trago a tona o inconsciente coletivo
De meu sol na casa doze.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

domingo, 5 de maio de 2013

Os nascimentos no espirito


O Novo Homem

Tenho dores de nascimento
De um novo homem,
Tenho dores sinceras,
Tenho um nó de lágrima
De tristeza entalada na garganta,
Tenho um adeus ao homem velho...
Que há muito tempo ensaio.

Tenho me dado ao luxo
Da displicência  na vida e da sutileza  com os amigos...
Meu coração dolorido, agora,
 Me diz que ao novo homem
 Não é permitido displicência na vida,
E que o mundo não merece minha displicência e sutileza.
Que seja assim!
 Que seja a vontade do novo homem.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez


Poesia Esotérica Imparcialista


Assombrar-se

Eu esperava do mundo perplexidade e assombro
Diante da bestialidade de nosso tempo;
Não espero mais nada, e me calo...
Em um mundo incapaz de assombro
Não posso esperar mais nada.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

segunda-feira, 18 de março de 2013

Poesia esotérica, espiritualista imparcialista


O monge

Meu olhar piedoso para o monge
Perguntou como ele suportava
Tanta solidão e vida vazia,
O Eremita respondeu serenamente:
_Solidão e vida vazia
Quem sente são os que desconhecem
As portas e as janelas escancaradas da alma,
Para a vida, o universo e a eternidade.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

domingo, 17 de março de 2013

O Papa é Jesuíta Franciscano


Holística do corpo e da alma...

O Papa é Jesuíta Franciscano,
Eu sou Jesuíta Franciscano Gnóstico,
O mundo contemporâneo
 Precisa que sejamos todos
 Jesuítas Franciscanos Gnósticos.

Franciscanos na vida,
Jesuítas na alma...
Gnósticos no conhecimento.

Franciscano em um tempo de consumismo,
Materialismo e destruição da natureza
Jesuíta em um tempo
De relativismo cultural e multiculturalismo,
Jesuíta em um tempo
De multiculturalismo que deforma...

Jesuíta que não perde a identidade
 No relativismo e no nivelamento.  
Gnósticos na Era da Informação e do Conhecimento,
Nessa hora treze do planeta.

Franciscano na humildade holístico
Que desintegra todas as verdades
Para respiramos a verdade universal
De sermos seres absorvidos pela eternidade.

As virtudes de amor, firmeza, sabedoria e conhecimento
Não é o multiculturalismo da Era da Informação
Que destrói a identidade e deforma.

Eu sou o templo de Deus,
Eu sou a natureza que me absorve,
Eu sou discípulo da verdade universal,
Da holística do corpo e da alma...

Somos muito mais que corpo,
Somos a presença de espírito
E a energia que outros sentem.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez

domingo, 3 de fevereiro de 2013

A Lição Foi Dada


Poesia Imparcialista


A Lição Foi Dada

O que serve para você,
O que acontece com você,
Não acontece, necessariamente, com os outros,
Não serve pra mim.

A lição foi dada,
Por quantas vezes a lição foi dada,
Por quantas vezes foi esquecida...
Assim a vida segue
Com seu ritmo particular
Com suas surpresas e mistérios.

A lição foi dada,
Mas tudo será esquecido,
Porque nada é tão consistente para suportar o tempo,
Esse deus que devora tudo.

A lição foi dada,
E pode parecer assimilada,
Pode parecer que tenha sido aprendida,
Mas a vida segue, outras tristezas e outra alegrias
E a vida cotidiana,
Ocupam nossos corações e mentes,
O amor esfria, e reservamos
Aos nossos vivos e aos nossos mortos
Um lugarzinho na memória,
E nos sentimos culpados
Porque a vida inevitavelmente segue,
E o tempo é uma fração da eternidade
Que devora humanidades e universos.

A lição foi dada,
As promessas não suportam o peso da vida
E a força devoradora do tempo.
O tempo é um deus com poder holístico
Que adormece tudo na insignificância diante da vida
Que segue com seu ritmo lento
E devorador de lembranças e importância.

Francisco Medeiros
J.Nunez

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Poesia Espiritualista


Caminhos Paralelos

Sem ter aonde ir
Procuro pelas ruas
Um lugar para chegar...
Do mesmo modo que procuro
Em um mundo paralelo,
Uma porta, um templo, uma casa
Na qual eu seja digno de sentar a mesa,
Ou um ser iluminado
Que eu seja merecedor de direcionar a palavra.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Espirito e Matéria


Matéria

Com a disciplina
A consciência,
Um objeto
Um rosário,
Um gesto,
Faço a ponte para os mundos invisíveis...

A matéria não tem o valor
Que damos a ela,
A matéria tem o seu valor
Real e oculto.

A matéria fixa a consciência
Feito um Cristo pregado na cruz,
Feito um Buda em posição de lótus,
Feito São Francisco em estado de êxtase na alma.

A matéria fixa a consciência.
Que feito o vento
Os pensamentos e
Os sentimentos espalham.

Nessa solidez do ocultismo palpável
Que o taurino e todos os signos zodiacais  
Encontram a segurança imperecível
E a verdade tangível.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

  

Postagens populares

Arquivo do blog