quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Poesia esotérica, espiritualista

Tempo excedente

A vida parece curta e pouca
Para se aplicar a qualquer coisa.
Então, naturalmente faço o que tem que ser feito,
Não perco tempo preocupado com a vida alheia,
Sou econômico nas palavras,
Porém esbanjo consideração humana,
Amo aos amigos e não me desgasto odiando os inimigos
E aplico a alma o tempo excedente,
Assim justifico a vida com a eternidade da alma.

Saturnino Queiros

J.Nunez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares