terça-feira, 26 de novembro de 2013

Poesia espiritualista

Uma vela queimada até o fim

Com fracassos, sucesso e velhice
Um dia apagarei
como uma vela queimada até o fim,
Ou como uma lâmpada,
Que talvez,
O mistério da morte  e da vida
Venha a reacender.

Sem alma e Deus, tudo
É efêmero, 
mediocridade e miséria.
A vida passou assim...
Francisco Medeiros

J.Nunez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares