terça-feira, 8 de julho de 2014

A prisão do vício


Depois daquela porta

Não tive medo de abrir a porta para os porões,
Porém, fui um homem com receio
Do mundo novo depois daquela porta,
Tive medo de abrir a porta que dá para aquela estrada,
Tive medo de saltar para o voo,
Pássaro com o pé atado
Tive medo de soltar-me...
Prendi meu corpo a um vício
Para sentir-me preso ao chão...

Tomei coragem, deixei o vício,
Arrombei a porta que dá para a estrada,
Desprendi o pé atado,
Soltei para o grande voo,
Agora estou na estrada sem fim...

Derrubei a porta
Agora tenho acesso livre
Para o porão e o mundo novo.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares