sábado, 28 de fevereiro de 2015

Poesia espiritualista

Ilusão de Ser

Esse sol,
Essa pedra a luz do sol,
Aquela lua de ontem à noite,
Eu e outras coisas que há sem a consciência de existir;
Existimos a cada momento sem a importância do antes e do depois...

As coisas não pensam de si o melhor,
As coisas não são, psicologicamente, essas ilusões de ser:
Doutor, professor, jardineiro, ou qualquer outra coisa.

Qualquer coisa além da consciência e a consistência  
De existir nesse momento é uma ilusão de ser,
Psicologicamente.

O tempo psicológico, o título e a condição social é uma ilusão de ser.
Sou o que sou de carne e osso e alma
A cada instante da vida.
Osso e alma é o que tenho de concretude.  
Mesmo quando inconsciente de ser essa realidade palpável.

Murilo Santiago
J.Nunez

  








sábado, 14 de fevereiro de 2015

Poesia esotérica

Sobre a linha do destino

Sobre a linha do destino tudo se repete
Em forma de dramas, tramas,
Suspenses, traumas, comédia e tragédia...

Um menino anda sobre a corda bamba do destino...
Inconscientemente o menino se faz homem
Caminhando sobre essa corda.

Um dia o homem recorda do menino que ele foi,
E descobre um fio, uma linha reta,
Uma corda por onde ele passou,
Inconscientemente,
De menino a homem sobre a corda do destino.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez 

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Poesia esotérica de Saulo Menezes Castro



O silêncio é a única certeza 

Pensar involuntariamente
É adiantar as incertezas do que virá:
O sofrimento e a alegria.
Ou adiar as incertezas do que virá,
Deixando sempre para amanhã...
O que poderia acontecer agora na alma
E no silêncio interior.

O acontecimento e a ação não corresponde
As expectativas e os caprichos do pensar,
O pensamento está sempre adiando a manifestação da alma,
Que é a nossa fonte de verdade e certezas.

O pensar involuntário
É sempre a incerteza do que virá.

O silêncio é a única de certeza do momento...
Pensar é adiar o caminho interior para o eterno amanhã.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez 

Postagens populares