segunda-feira, 22 de junho de 2015

Poesia espiritualista

Lamentações

Acordei com se viesse da morte para a vida,
Ou da inconsciência para a lucidez.
As mortes se apresentam em sonhos e símbolos.

Pelas ruas pessoas lamentam de tudo:
É o preço da carne,
É a situação do país,
A situação pessoal,
É o outro que incomoda,
É o trânsito congestionado,
São lamentos falados,
São lamentos remoídos...

Estou cansado de minhas próprias lamentações...
Calo o pensamento que mastiga
E remói a vida interior.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares