sábado, 4 de julho de 2015

Poesia religiosa



Pisando a cabeça da serpente

Feras famintas espreitam sua carne,
Bestas no cio lhe devoram com os olhos,
A fome de zumbis carnívoros e assassinos
Estão rondando suas portas e janelas serradas,
Os demônios se vestem de corpos sedutores. 

Na imagem da Santa pisando a cabeça da serpente,
O monge encontra a paz na alma
E caminha entre as bestas
E as coloca abaixo de meus pés.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares