terça-feira, 24 de novembro de 2015

Poesia esotérica

O céu dos meus sonhos

Este céu não revela mais
Do que dias de chuva ou sol.
A neblina delineia paisagem
Que nunca percebi na claridade.

O céu dos meus sonhos
Revela segredos e profecias
Com desenhos de nuvens
E imagens no céu, como em uma tela de cinema...
O céu dos meus sonhos se rasga como um véu;
Revela mistério que ainda não pude decifrar.

Saio das prisões que não me prendem,
Transpasso essas grades, essas portas
E essas paredes que não me prendem,
Porém, outros estão presos por elas.

O inferno e as prisões são construções
Feitas pelo próprio prisioneiro que se aprisiona...
Em seus pecados, vícios e conflitos,
Que são os seus infernos e prisões.

J.Nunez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares