quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Rio de palavras

O Verbo


O verbo me foi dado.

Em um instante de autodescobrimento
Soube que o verbo me foi dado
Para servir a todos,
Como um rio de palavras
Que brota de minha intuição.

Lamentei arrependido
Por ter um dia pensado em estancar
Esse rio de palavras,
 Por ganhar por elas.

Descobri que o verbo
Que nasce em meu caminho
 deve correr solto e para todos.

J.Nunes


31-08-2016

O fogo

O fogo sagrado

O fogo deve estar sobre controle;
O fogo aumenta,
O fogo diminui.

O fogo não deve ser maior
Que a pureza de coração,
Nem deve ser acendido pelo ego.

O fogo deve nascer na pureza do amor e da carícia,
O fogo deve subir,
Deve ser cuidado para que o ego
Não o aumente muito e sai fora de controle.

J.Nunes

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Corrente do pensamento e corrente do silêncio

Nas correntezas do silêncio

Vá na correnteza do silêncio.

Deixe o pensamento escorrer naturalmente,
Mas não vá com ele,
Deixe que escorra até que morra
Sem força e a míngua.

Pegue as correntes do silêncio e navegue por ela.

Deixe o pensamento como a paisagem
Feita de miragens do tempo.

J.Nunes 

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O bem supremo

O bem supremo

Quem vive dentro do bem  supremo
Está sobre as asas da providência divina.
Encontramos o supremo bem
Com a prática do bem absoluto
Que nem se quer aceita a citação sobre o mal.

No bem supremo não existe
Orgulho, vaidade, cobiça e egoismo,
No bem supremo vivemos na margem
Da correnteza do bem absoluto.

Todas as virtudes pertencem ao bem absoluto,
Nada nos pertence, por isso é descabida
A vaidade, a cobiça e o orgulho dos dons e virtudes
Que pertencem ao bem supremo.

As virtudes e os dons nos são dado
Segundo a nossa sintonia
Com o bem absoluto.

J.Nunes

24-08-2016

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

O Bem Absoluto


O Bem absoluto não admite
Nem mesmo citação sobre o mal.

O Bem absoluto é puro;
Não se alterna com o mal
No domínio da vida.

O que chamamos de Bem
É a alternância entre o bem e o mal,
Até mesmo o mal disfarçado de Bem,
Para que a vida se torne possível.

O Bem absoluto é puro e perfeitamente possível.

O mal absoluto é autodestrutivo;
O mal faz o bem para os maus;
Do mesmo modo que um diabo cabeça de legiões
É bom para seus demônios.

O Bem absoluto é puro feito ouro
E não admite alternância
E citações sobre a maldade.

J.Nunes   22-08-2016    



quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Fim da poesia falada

A caminho da morte

Fui poeta,
Não escrevo mais,
Minha poesia será feita de um silêncio de sepucro...
Minha poesia será feito das chagas de Jó.

Falar agora seria muito perigoso e inútil,
Seria jogar ''pérolas aos porcos;''
É o caminho da morte e do fim.

Já disse tudo que tinha para dizer.
A vida para mim sempre foi um sacrifício
Ter que sair do silêncio
Para construir a vida fora de mim.

Sempre lutei contra o impulso de viver,
Especialmente, a alma.
Estou pronto para o silêncio,
Igual a um cordeiro a caminho da morte.

J.Nunes 17-08-2016

sábado, 13 de agosto de 2016

Poesia esotérica

Constelação

Eu quis ir até a constelação,
O menino desceu das estrelas
De uma brilhante constelação
Com meia dúzia de estrelas.

O céu relevou um mapa
Com todas as cores das bandeiras do mundo...
Um pedaço céu caiu
Feito um papel queimado, mas inteiro.

Colhia o papel e coloquei em baixo
De meu travesseiro em outra dimensão...
Quando acordei o procurei em vão.

J.Nunes 

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Poesia espiritualista

Esvaziar-se

Sem religião,
Sem igreja,
Sem sistemas,
Sem conceitos,
Sem política,
Sem ideologias,
Sem razões,
Sem propósitos,
Sem palavras.

Esvaziado,
Em silêncio:
É assim que eu começo a caminhar.

J.Nunes


11-08-2016

domingo, 7 de agosto de 2016

POESIA ESOTÉRICA

Tome, Dr., esta tesoura, e... corte minha singularíssima pessoa. Que importa a mim que a bicharia roa todo o meu coração, depois da morte?!
Augusto dos Anjos

O poeta da Morte

Olhei a vida de outra perspectiva,
Olhei a vida pela perspectiva da morte,
De quem está morto,
Feito o “Poeta da Morte”.

Perdi o medo da morte
E de olhar a vida da morte para a vida.

O cadáver ,se fosse possível,
Encontraria o prazer em ser comido pelo verme
E pelas moscas que possam em seu corpo em decomposição.

A vida quando não é olhada do ângulo da morte para a vida
Ela é sentida como um corpo em decomposição, se pudesse,
Viveria  o prazer de ser consumido pelos vermes.

A vida vivida sobre a perspectiva do prazer tem o sabor de lascívia,
Tem a função de ser matéria orgânica para a natureza,
A vida olhada da perspectiva da morte é consciência
E vida muito além da matéria
E das finalidades da natureza e dos sistemas.

J.Nunes    07-08-2016



sábado, 6 de agosto de 2016

Poesia espiritualista imparcialista

Moral e consciência

O desejo e o vícios nos prazeres,
Que é uma forma de vaidade,
Depois que conquista e doma todos os sentidos
E causa dependência, finca sua bandeira de dominador.

A moral, os conceitos de certo errado
Ficam   inválidos distante dos olhos dos outros.
Restando nos o  remorso,
Ou inventamos conceitos segundo os nossos vícios e desejos
E lutamos ferozmente contra a opinião contraria.

A consciência sobre si esta muito além de nossos remorsos,
De nossos conceitos, de nossas compulsões dos desejos,
Dos vícios sobre os sentidos e  dos pensamentos
Que levam a sentimentos associados aos desejos,
 Ao vício e ao prazer.

A consciência é a experimentação de outra realidade,
Que certamente,  ainda não estamos preparados para vivenciar,
Estão, nos prendemos a um prazer
Que nos prendem ao mundo da inconsciência.

J.Nunes

05-08-2017

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Poesia imparcialista esotérica.

Girassóis da alma


Os cães ainda me mordem as mãos e os pés,
Me prendem ao chão,
Não me deixam em paz
para voar por esse mundo,
Onde viajo além do tempo e do espaço.

Meus corpos se desententem;
Um deles é tomado pela preguiça,
Não quer deixar a cama,
Tenta impedir, corre atrás do outro,
Põe barreiras nos corredores da casa,
Para impedir que  o outro viaje
Pelo espaço e dimensões sem fim.

Sem eles, sem formas viajo
Para as estrelas e entre os átonos das coisas.
Viajo nos giros dos girassois da alma

J.Nunes 04-08-2016

Na essência das coisas

Na essência das coisas

Na essência das coisas
Ter isso ou aquilo
No fundo da consciência é não ter nada.

O que eu tenho realmente é meu corpo
 E seus membros com suas funções.
No fundo da consciência
Nem mesmo meus conhecimentos são meus.
Só temos algo quando ele é uma extensão física de nós;
As coisas não são uma extensão física de nós.

Ter é ser de fato
Ser é ter de fato.
As coisas são separadas de nós,
Nos somos separados das coisas.
Somente o que é extensão de nós é que nos pertence.

Possuímos de fato,
Somos de fato
Aquilo que é extensão do nosso corpo e de nossa alma,
Logo, somos eternidade.
J.Nunes

04-08-2016


quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Poesia dia dos pais

Aprendiz de ser pai

Vim aprendendo pela vida;
Vim errando, acertando, aprendendo.
Ser marido e pai é a mais bela lição e aprendizado
Que um homem pode viver dentro dessa escola da vida.

Um pai esta sempre disposto a todos os sacrifícios,
A ficar sempre coadjuvante na vida,
A colocar se fora dos planos,
A lutar e viver pelos seus filhos e esposa.
Ser pai e marido pode ser
Uma lição de desapego, dedicação e amor.

O amor de pai é mais silencioso,
Tem o peso das palavras
Que não são capazes de dizer
Tudo que é ser pai e de falar sobre o silêncio
 De suas dores e lágrimas condidas no peito.

Um pai é feliz com as conquistas de seus filhos,
Realiza-se nos sonhos de seus filhos,
Mesmo que esses não sejam seus sonhos.
Um homem depois que se torna pai deve aprender
A amar sem medida e ser capaz de todas os desprendimentos,
Com a felicidade de quem se realiza na familia.

J.Nunes  03-08-2016

Virtude da Humildade

Filhos da terra

Virtude da Humildade

Humildade vem de húmus,
Que significa filhos da terra, 
Que vem da consciência
De que somos parte de um todo
E a unidade em Deus. 


Temos medo de sermos amorosos,
Temos medo de sermos humildes
Como se não houvesse mais espaço
Em um mundo tão soberbo e grotesco
Para a mais elevada das virtudes da alma.

Invejamos os orgulhosos e os violentos,
Apreciamos a virtude do amor e da humildade,
Porém, nos falta coragem para sermos
Humildes e amoroso porque olhamos
Para essas virtudes como se fossem vulneráveis,
Como se essas virtudes fossem fraquezas,
Quando na verdade é o mais elevada
Das faculdades dos homens.

J.Nunes 

Postagens populares

Arquivo do blog