quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Fim da poesia falada

A caminho da morte

Fui poeta,
Não escrevo mais,
Minha poesia será feita de um silêncio de sepucro...
Minha poesia será feito das chagas de Jó.

Falar agora seria muito perigoso e inútil,
Seria jogar ''pérolas aos porcos;''
É o caminho da morte e do fim.

Já disse tudo que tinha para dizer.
A vida para mim sempre foi um sacrifício
Ter que sair do silêncio
Para construir a vida fora de mim.

Sempre lutei contra o impulso de viver,
Especialmente, a alma.
Estou pronto para o silêncio,
Igual a um cordeiro a caminho da morte.

J.Nunes 17-08-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares